domingo, 18 de abril de 2010

Erupção De Idiotice


Um vulcão islandês de nome estranho anda a fazer das suas há algumas semanas. É fumo e mais fumo. Como não podia deixar de ser, as burocracias aproveitaram este pretexto para puxarem até aos limites os seus poderes. Bloquearam grande parte dos aeroportos da Europa. Isto não devia admirar. É o que fazem sempre que pretendam aumentar o seu poder: aproveitar, exponenciar, e criar crises do nada.

Tudo isto cheira mal (e não é só enxofre).

Mais uma vez se constata que o estado considera que os cidadãos são burros demais para decidirem por eles próprios se é prudente ou não voar nas actuais condições, ou se enquanto proprietários de companhias aéreas vão tomar o risco de perder um avião. Supostamente, se o bom pastor não cuidar das suas ovelhas, estas vão alegremente caminhar para a morte, e destruir intencionalmente patrimóninio de bilhões de euros. Somos todos uns irresponsáveis suicidas.

Fica-se claramente com a sensação de que todo o "perigo" foi exagerado pelos mídia e pelo poder. Não se assistiu a um mínimo de espírito crítico. As companhias já andam a testar aviões nas actuais condições, sem verdadeiros problemas. Os voos de "emergência" são permitidos (só não fica muito claro o que é uma "emergência"). E o vulcão tem andado activo há várias semanas, sem que ninguém se lembrasse de provocar todo este teatro.

Os burocratas da União Europeia já andam a dizer que vão "reavaliar a situação, tendo em conta os interesses das companhias aéreas e as condições de segurança". Tais afirmações são simplesmente uma maneira manhosa dos responsáveis aéreos admitirem o absurdo de toda esta situação, tentando não perder a face de caminho. Declarações destas pretendem conciliar o inconciliável. Ou se considera que as cinzas são perigosas, e não faz sentido (na lógica manhosa e liberticida dum burocrata) deixar os aviões voar; ou se considera que não são perigosas, o que ilustra bem a idiotice duma proibição destas à escala de todo um continente.

Tanta unanimidade por parte das autoridades aéreas da Europa, levando inclusivamente a fechos de espações aéreos em países em que a nuvem de cinzas não chegou sequer, não pode deixar de ser vista com ironia. Quem sabe, talvez os grande burocratas europeus, após um jantar em Bruxelas, tenham decidido pregar-nos uma partida... Ou talvez seja simplesmente uma característica da idiotice e da ovelhice propagarem-se irresistivelmente, a grande velocidade. O que é certo, é que todo este episódio mostra bem a carneirice dos europeus. São bem mansos, não haja dúvidas. Só assim se explica que dêem a funcionários públicos anónimos a autoridade de os fechar dentro do seu próprio país, como se de uma prisão se tratasse, quando lhes dá na gana! E tudo isto sob um pretexto frouxíssimo.

Contudo não se pense que tudo foi mau. Os canalhas da parasitocracia foram apanhados na própria rede que teceram... Uns quantos políticos ficaram bloqueados no estrangeiro durantes estes dias. Pelo menos durante este tempo não os ouvimos. E outros tiveram que atravessar a Europa por terra, uma maneira bem pouca confortável de viajar longas distâncias. É menos divertido do que andar a passear de avião à conta do contribuinte.

Aproveitemos este espectáculo burlesco enquanto dura.