quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

A Rainha das Nações

Na proxima guerra, surgirá um Monstro no coração do Mundo. O fogo alastrará por toda a parte.

Só uma nação poderá combattel-o. Aquella que já destruiu a Terra. Aquella que deu força ao Monstro. Redimir-se-á de forma dolorosa. Sozinha, carregará o Mundo ás costas. Protegerá quem precisa de ser protegido. E illuminará o caminho dos povos da Terra.

Ha que rezar por esta irman mais velha. Para que encontre a força de carregar este fardo pesadissimo com sabedoria. 

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

As Caravellas


Ha relações especiaes e inquebraveis entre nações. Nações e povos, e isso é o mais extranho, completamente diferentes e até, antipathicos. É muito provavel um povo estar ligado mais fortemente a gente nas antipodas da Terra, do que com os seus vizinhos fronteiriços.

Os povos teem um destino e uma missão historica. Algo de mystico, que não lhes é dado conhecer de antemão. Essa missão realiza-se nas influencias mutuas entre povos.

Estas ligações teem a sua origem no commercio, na guerra, na pregação, nas relações de familia. São, muitas vezes, dolorosas. Mas uma vez que a ligação se fez, é inquebravel. Pode haver rupturas temporarias, e apparentemente, definitivas, mas é uma illusão. Algumas gerações passam, seculos até, mas como que dois imanes, os povos voltam a attrahir-se.

Muitas vezes, os povos passam do odio à guerra. Mas depois do confronto apercebem-se, com uma certa vergonha, que gostam uns dos outros. Percebem, tambem, que o soffrimento por que passaram era necessario, e os fez crescer.

Ha algo de muito forte no "inconsciente" dos povos. Uma raiz profunda, vinda de uniões anteriores, e de premonições. É um medo, uma esperança, uma saudade, uma attracção, um olhar para o horizonte, um pensar sempre uns nos outros. Empathia com os soffrimentos do povo distante. Por vezes, uma hostilidade artificial e excessiva, que é já um perder a lucta, e saber que se deve perdel-a. Uma hostilidade que é, no fundo, um chamar a si o outro. Sonhos. Algo de diffuso.

Um dia, apparece um pioneiro. Um homem que precisava de partir. Para aquelles que o veem, não é simplesmente um aventureiro, um soldado, um missionario, ou um commerciante. É todo um significado, muito forte. O representante de seculos de historias em commum. Elle toca, e deixa abalados, os seus hospedes. Sem saber, elles estavam á espera. Precisavam de receber. E depois desse pioneiro, veem outros, e mais outros. E as pazes estão feitas.

...

Portugal vae lançar os seus emissarios. De novo.

domingo, 18 de janeiro de 2015

Do Minho Até Timor


Antigos nomes de villas e cidades do Ultramar portuguez.

Guiné:

Teixeira Pinto

Angola:

São Paulo da Assumpção de Loanda
Guilherme Capelo
Henrique de Carvalho
Mariano Machado
Teixeira da Silva
Silva Porto
Roberto Williams
General Machado
Gago Coutinho
Serpa Pinto
Arriaga
Paiva Couceiro
Sá da Bandeira
Arthur de Paiva
Pereira de Eça
João de Almeida
Porto Alexandre

Moçambique:

São Sebastião
Lourenço Marques
Villa Luisa
João Bello
Nova Lusitania
Villa Pery
Villa Paiva de Andrade
Dona Ana Sena
Caldas Xavier
Villa Coutinho
Villa Junqueiro
Antonio Enes
Villa Cabral
Nova Freixo
Porto Amelia

Timor:

Armindo Monteiro
Villa General Carmona
Villa Salazar
Nova Sagres

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Jaime Neves


Guerra

Em breve, um castigo divino abbatter-se-á sobre os homens.

Em breve, a Republica Franceza collapsará.

Em breve, toda a Terra estará em guerra.

Em breve, o Papa lançará uma Cruzada.

Em breve, os brancos voltarão a Africa.

A guerra opporá dois campos.

Os Alliados: a Direita, catholicos, orthodoxos, judeus, chiitas, hindus, buddhistas, shintoistas, animistas e, nos paizes de maioria protestante, seitas protestantes excluidas do poder (presbyterianos, por exemplo).

O Eixo: a Esquerda, sunnitas, protestantes e confucianistas/taoistas.

Inicialmente, os Alliados soffrerão derrotas calamitosas. Contudo, a victoria final será delles, e brilhante. Tambem a Christandade sahirá reforçada, espiritualmente e politicamente. Nem um minuto de desespero. Fé em Deus.