segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Religião e Politica

O judeu infiltra uma sociedade, corrompe-a, e abre as portas do castello. Por natureza, é venenoso e putrefactor. 

Uma vez que as portas do castello estão abertas, e assim que se sinta em força, o mouro entra, de sabre na mão, e terroriza. Por natureza, é falso, violento, conspirativo, explosivo, suicida.

O protestante olha á distancia, como se não fosse com elle. Secretamente, congratula-se, e collabora com o mouro. Por natureza, é manhoso, assustadiço, feminino, burguez. "Faux-cul", diriam os francezes.

So resta o catholico para recompor-se, segurar, luctar, morrer, sacrificar-se, e no final, vencer. Abbraçando, annexando, reconquistando e assimilando tudo o que o pode ser. Por natureza, é franco, ingenuo, radical, heroico, martyr.

No final, cada a um terá o que merece. Não fica nenhuma conta por pagar. Nesta vida ou no Alem. O grande Juiz vê tudo.