domingo, 14 de maio de 2017

A Cidade

A cidade é um logar feio e malsão. É um sitio de vicio, de ambição, de peccado, de insegurança e violencia, de artificialidade, de sujidade, e paradoxalmente, de solidão. Na cidade, o homem tem uma rede, mas não tem raizes. A cidade é revolução e perdição.