segunda-feira, 15 de maio de 2017

A Restauração

A nivel material, e não só, Africa é um desgraça. Africa é francamente disfunccional. Com a descolonização, houve um collapso civilizacional. Em muitissimos aspectos, Africa está hoje em dia peor, muito peor, do que estava no tempo dos brancos.

Dicto isto, é um erro pensar que este estado de coisas é permanente, que não tem solução. Os africanos são inferiores em termos culturaes. Mas não são geneticamente inferiores. Ha mentalidades difficeis a combatter, mas as mentalidades mudam.

Tudo o que é necessario à existencia duma civilização agradavel está presente em Africa: estradas, hospitaes, escholas, redes de abastecimento, instituições, leis. Nem que seja por herança do tempo colonial. Contudo, por causa da corrupção, da preguiça e da incompetencia, está tudo num grande estado de descalabro. Mas basta um empurrão no automovel para o motor voltar a trabalhar.

É preciso perceber que os africanos, especialmente os mais velhos, apesar de participarem todos um boccado da palhaça que é a sua terra, teem uma consciencia diffusa da situação em que se encontram. Mas por natureza, são extremamente fatalistas. Conformam-se com a sua sina, mesmo quando vivem ao nivel dos animaes. Falta-lhes a força de vontade, a visão e a esperança para agir. Pensam que não ha nada a fazer. Não teem coragem para se opôr às hostilidades violentas que uma tomada de posição inevitavelmente provocaria. E teem alguma desculpa quanto a essa passividade, porque o esforço necessario ao endireitamento de Africa, para que simplesmente alcance o seu potencial, é propriamente heroico. Ou seja, é obra para um Heroe: o homem que carrega o mundo às costas, por escolha propria. É preciso derrubar todo um systema, e suplantar toda a velha elite.

Os africanos estão insatisfeitos, à espera que alguma coisa acconteça: o Chefe. Quando os homens grandes de que Africa precisa surgirem, quando elles espetarem as lanças no chão e desfraldarem as bandeiras, serão seguidos e bem succedidos. As mudanças beneficas que accontecerão não serão graduaes, mas sim bruscas. Mas ainda não chegou o tempo. Os africanos aindam precisam de soffrer um pouco, para ficarem mais humildes. E os heroes ainda precisam de rezar, para ganharem coragem. No momento certo, bastará uma faisca.